Luz

Luz

Ó tu que aspiras o conhecimento da Luz Vigente;

Não procure nem nos vales nem no meio dessa gente;

Observa-te a ti mesmo, enquanto inocente;

E desfruta da emoção de ser um Sol-Sempre-Fulgente.

 

Sobe pelo interior do teu corpo como numa escada para o céu;

Passando e passeando;

Por Passagens e Passeios;

Irremediavelmente indescritíveis no papel.

 

Guarde a sete chaves;

Aquilo que concerne às Sete Portas;

Pois o Teu não é o Meu;

Assim como o Meu não é o Teu.

 

Sê com cuidado às coisas grandes;

E sê mais cauteloso ainda àquelas ínfimas;

Pois assim como deves angariar a fervorosa secura do Dia;

Também se faz necessário para com o remanescente relento da Noite.

 

Sê tu sempre essa Luz Macia;

E uni-te para sempre com o Infinito;

Nunca com ânsia de resultado e histeria;

Mas com Vontade Pura e sem atrito.

 

Escrito em meados de 2001 e.v.

Habilidades

Postado em

17 de junho de 2017

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *